A adaptação escolar é algo que preocupa todos os pais. Os receios envolvendo a relação do filho com outras crianças, o aprendizado e o desenvolvimento do puerinho costumam deixar os pais bastante ansiosos nesse momento.

Para piorar a situação, muitas vezes, as crianças começam a chorar para ir à escola e demonstrar que não estão satisfeitas com essa mudança de rotina.

Apesar de parecer algo importante tanto para os pais quanto para a criança, esse incidente é bastante comum e faz parte do desenvolvimento de quase todos os puerinhos.

Pensando nisso preparamos esse artigo te explicando o que causa esse choro e o que os pais podem fazer para contornar essa situação!

Que tal conferir?

Causas

Primeiramente, como citamos, é importante lembrar que o choro para ir à escola é um incidente bastante comum, especialmente com crianças entre dois e três anos de idade.

Isso acontece porque, nessa fase, o pequeno já entende que ir à escola significa passar tempo longe do conforto de casa e da companhia acolhedora dos pais.

Isso faz com que ele busque maneiras de demonstrar essa insatisfação e protestar contra essa mudança de rotina.

Além disso, a percepção de que agora existem regras e horários definidos para a realização de cada atividade também é responsável por fazer com que o pequeno se sinta desconfortável.

E o que fazer para cessar essa situação?

Primeiramente é importante ressaltar que os pais nunca devem demonstrar que estão compartilhando do sofrimento da criança.

Isso faria com que os pequenos entendessem que suas atitudes estão surtindo efeitos e, portanto, manteriam o comportamento inadequado.

Tendo isso em mente, busque manter a calma na frente do puerinho (mesmo que o choro dele esteja mexendo com você) e demonstrar que a nova rotina é normal e não é motivo de choro ou tristeza.

Isso fará com que você passe segurança para a criança e, com isso, confirme que não há razão para tanto sofrimento.

Conversar com a escola também é importante para que haja uma troca construtiva entre pais e instituição sobre o desenvolvimento das crianças.

Muitas vezes, o choro de colegas de turma acaba fazendo com que várias crianças sintam a vontade de chorar junto. Nessas horas é essencial ter uma comunicação ativa com a escola para que sejam feitas conversas sobre o tema em sala de aula.

Conversar com outros pais também ajuda a conservar a tranquilidade e calma durante esse momento difícil dos puerinhos.

Ao entender que o seu filho não é o único que está passando por isso e que essa é uma fase normal do desenvolvimento da maioria das crianças, fica mais fácil manter a calma e a tranquilidade e, consequentemente, transmitir essa calma para o seu pequeno.

Por último, mas não menos importante, converse com o seu filho e tente fazê-lo entender as mudanças que estão acontecendo.

O diálogo é uma habilidade essencial que deve ser desenvolvida desde cedo para que as crianças consigam compreender e resolver situações adversas ao longo da vida.

Não há motivos, então, para não botar isso em prática nessa situação.

Mas lembre-se: evite conversar várias vezes sobre esse mesmo tema.

O ideal é que, após uma ou duas conversas, a criança já entenda a mensagem e aceite que tem que lidar com as mudanças que estão acontecendo.

Temos certeza que essas dicas vão ajudar você e o seu filho a passarem por essa etapa complicada que é a adaptação escolar!

E aí, curtiu?

O rendimento escolar das crianças é algo que preocupa desde muito cedo. Muitas vezes, por causa disso, os pais acabam exigindo demais dos pequenos e fazendo com que eles desenvolvam uma certa aversão aos estudos.

Isso, no entanto, é justamente o contrário do que precisa acontecer.

Para que uma criança obtenha resultados acadêmicos positivos é necessário que ela goste e tenha um certo nível de apreço pelos estudos.

Para desenvolver esse gosto e apreço, então, os pais podem colaborar de algumas formas e incentivar os filhos a apreciar os estudos desde cedo.

Pensando nisso, preparamos um artigo explicando algumas dicas que podem ser úteis para fazer com que o seu puerinho desenvolva, desde cedo, uma relação positiva com o estudo e o aprendizado.

Que tal conferir?

Promova o lúdico

É claro que crianças pequenas não vão mergulhar de cabeça em leituras extensas e complexas para estudar e aprender. Nessa fase, o ideal é que os pais encontrem maneiras lúdicas e divertidas de incentivar o aprendizado, como brincadeiras, jogos e gincanas.

A adedonha, por exemplo, é uma brincadeira legal onde os pais podem incentivar as crianças a aprender nomes de animais, objetos e cores de maneira divertida. No final de brincadeiras como essa fale coisas como “viu como é legal aprender, filho?!” para que a criança relacione a diversão ao aprendizado.

Isso fará com que, no futuro, o puerinho não pense que estudar é algo chato e monótono.

Incentive a curiosidade

A curiosidade é o maior pilar de qualquer aprendizado já que, para buscarmos uma resposta, precisamos ter alguma dúvida.

Sabendo disso fica fácil entender o porque da curiosidade ser tão importante nas primeiras fases da vida. É através dela que as crianças começam a tentar entender como o mundo funciona e, consequentemente, aprendem diversas coisas.

Muitos pais consideram que essa é uma fase chata da infância por terem que responder perguntas constantemente, quando na verdade deveriam estar incentivando e alimentando essa curiosidade.

Estimule a criação do hábito da leitura

Enxergar a leitura como uma atividade divertida e leve é essencial para que as crianças desenvolvam gosto por esse passatempo tão importante.

Crianças que não gostam de ler costumam ter mais dificuldades na escola com o passar do tempo, já que passam a enxergar a leitura de livros e apostilas como algo chato e desinteressante.

Isso significa que incentivar a leitura desde pequeno é essencial para que o rendimento escolar das crianças seja o melhor possível.

Lembre-se, no entanto, que os puerinhos devem ler livros apropriados para sua faixa etária. Se você está procurando dicas de obras para crianças de até cinco anos de idade, confira esse outro artigo.

Aposte em pequenas recompensas

Presenteie seu filho com pequenos mimos sempre que ele cumprir tarefas de casa e mostrar interesse por aprender coisas novas.

Isso fará com que o cérebro dele passe a associar o aprendizado e o cumprimento de obrigações escolares com coisas positivas.

Isso não significa, é claro, que você precisa presenteá-lo com coisas muito elaboradas. Qualquer recompensa pequena como um doce, um adesivo ou até mesmo um abraço já causa o efeito necessário.

Crie um ambiente propício para o aprendizado

Não dá pra esperar que as crianças aprendam muita coisa se estiverem em um ambiente com diversas distrações. Por ainda serem pequenas, elas não conseguem evitar a dispersão e, por isso, é importante que as condições do ambiente seja favorável ao aprendizado.

Evite, por exemplo, que o cantinho da leitura e realização de tarefas de casa seja próximo de TVs, computadores e outros aparelhos que podem tirar a atenção do puerinho.

Essas são as principais dicas para que o seu filho consiga desenvolver um apreço pelo aprendizado e, com isso, obtenha um bom desempenho escolar.

Lembre-se que o acompanhamento e incentivo dos pais é essencial para que os pequenos possam ter um desenvolvimento estudantil saudável e adequado.

E aí, curtiu?