Posts

Todas as crianças possuem peculiaridades, gestos que caracterizam sua personalidade. Isso pode ser comum e até mesmo saudável, desde que não atrapalhe a vida dos pequenos que preocupam os pais. Porém, existem alguns gestos repetitivos na infância dos filhos que preocupam os pais. Como lidar com essas manias da infância?

Primeiramente, devemos ter conhecimento da diferença entre tique e mania. Tiques são comportamentos repetitivos, como por exemplo, mexer alguma parte do corpo várias vezes. Já as manias, são comportamentos que a criança tem dificuldade de controlar. Morder os lábios é um exemplo. Dessa forma, os pais precisam estar atentos e entender a origem dessas ações.

Em diversas ocasiões, esses atos não estão ligados a coisas graves, mas sim em causas comportamentais. Quando alguma situação nova acontece, a criança desperta uma emoção ou sentimento, e não é capaz de lidar. Logo, ela encontra na mania a forma para se acalmar.

É importante que os pais estejam sempre atentos ao momento em que esses comportamentos se manifestam. Por isso, nunca interprete de forma isolada os gestos de uma criança. Geralmente, essas manias tendem a diminuir com o passar do tempo quando a criança possui maior domínio de suas ações.

Existem várias formas de ocupar as crianças, de modo que a segurança seja transmitida e ela saiba lidar com as diversas situações. A prática de esportes e terapias são ótimas formas de evitar esses gestos repetitivos da infância. Não é necessário que a criança sofra qualquer trauma ou seja punida por agir como tal, essas ações negativas podem piorar a situação. Portanto, é importante que os pais olhem os comportamentos dos seus filhos e saiba a maneira certa de agir nesses casos.

Conheça nossa escola.

Ademais, continue acessando nosso blog diariamente.

Fonte: Escola da Inteligência

Imagem: freepik

A vida com bebês seria muito mais prática se tivéssemos um manual com dicas sobre como agir em cada situação. Porém, a única coisa capaz de moldar nossas atitudes e nossas decisões é a vivência. Isso porque, cada bebê possui características próprias. Durante o desenvolvimento os pequenos passam por diversas fases. Elas, uma hora ou outra, influenciarão positiva ou negativamente na rotina do sono.

Primeiramente, precisamos ressaltar que esse tipo de situação é completamente normal. Entretanto, conhecer algumas estratégias pode tornar essa tarefa algo ainda mais fácil. Continue lendo para saber mais!

Rotina é tudo

Essa pode parecer uma solução simples, mas ela é realmente eficaz. Ela pode ser colocada em prática desde o primeiro dia de vida do bebê. Assim, cerca de 30 minutos à uma hora antes de dormir, diminua as luzes. Dessa forma, a produção e a liberação de cortisol, o hormônio do sono. Posteriormente, dê um banho, a última refeição do dia e aproveite para ler uma história ou ouvir uma música calma. Para que a criança se acostume, siga esse ritual rigorosamente todas as noites.

Pais unidos = boa rotina de sono para a criança

A união faz a força! Portanto, antes mesmo de começar a acostumar seu filho, certifique-se de que seu parceiro concorda com as estratégias. Isso porque, nem sempre os responsáveis concordam em alguns aspectos durante a criação dos pequenos. Além do mais, é fundamental que ambos entendam: o bebê e o sucesso no treinamento do sono tranquilo é responsabilidade dos dois. É importante que essa conversa seja realizada antes de o choro ou mesmo a inquietação da criança aconteça, para que os dois estejam preparados para lidar com as dificuldades juntos.

Atenção ao horário

Alguns pais, por possuírem uma rotina corrida, costumam manter as crianças acordadas até tarde para aproveitarem o tempo juntos. Porém, isso pode ser nocivo para o sono biológico do bebê. Isso porque, o horário ideal para uma criança de 3 a 6 meses ir dormir é bem cedo, em comparação ao tempo que nós adultos estão acostumados a ir deitar.

Busque interpretar os sinais

Nem todos os sons que o bebê faz querem dizer que ele precisa de colo ou de comidinhas. Isso porque, muitas vezes os suspiros e os gemidos durante a madrugada podem demonstrar apenas que o pequeno está se acomodando enquanto dorme. Portanto, mexer neles pode acabar atrapalhando o relaxamento completo. Então, antes de tomar alguma atitude, tenha certeza de que a criança está bem ou realmente está com os olhinhos abertos. Se ela estiver chorando por estar com dor ou com algum desconforto, você conseguirá saber pelo volume do choro, que aumentará em vez de diminuir.

Barriguinha cheia

Você sabia que refeições regulares favorecem o descanso na hora de dormir? Um bebê que come bem durante o dia muito provavelmente poderá dormir à noite sem precisar mamar. Se, por orientação do pediatra, você ainda amamenta, fique atenta para saber identificar quando seu filho passa a fazer seu seio de chupeta. Assim você evitará a formação de gases e desconfortos na criança.

A Pueri Dei se preocupa com a qualidade do sono dos puerinhos, pois sabe que dormindo bem eles crescerão fortes, saudáveis e com muita energia para gastar!

Conheça nossa escola!

Ademais, continue acessando nosso blog.

Fonte: paisefilhos

Imagem: freepik

O medo é um sentimento normal que todos nós temos. Ele é capaz de ativar sinais de alerta em nosso corpo para que fiquemos atentos mediante situações de perigo. Além disso, durante a infância ele é detectado e acaba se aflorando com o passar do tempo, à medida que a criança cresce.

Pode ser difícil saber como agir quando esses temores começam a surgir. Por isso, no post de hoje te daremos dicas para que você saiba como lidar com esse sentimento. Confira:

  • Quando a criança for para ambientes não familiares, como a escola, a casa de um amiguinho ou o médico, permita que ela escolha um objeto familiar para levar consigo. Dessa forma ela se sentirá mais segura, afinal terá algo que compartilha com a família;
  • Converse sobre os medos de maneira natural e sem exageros. Essa estratégia é útil, pois ajudará a delimitar do que exatamente a criança tem medo;
  • Não permita que os medos do seu pequeno estabeleça poder sobre ele. Se ele tem medo de escuro, evite deixa-lo sozinho em lugares escuros, pois isso tende a aumentar seus temores;
  • Seja sincero quanto aos medos reais. O ato de esconder sentimentos não será saudável, nem a curto nem em longo prazo.

O desenvolvimento das crianças é composto por fases inerentes à idade. É fundamental que a família e a escola estejam cientes disso, a fim de promover um ambiente acolhedor para os pequenos.

Conheça a nossa escola!

Ademais, continue acessando nosso blog.

Fonte: leiturinha

Imagem: freepik

Durante a infância podem surgir alguns desconfortos. Quando as crianças se sentem mal, é comum que sintamos o desejo de resolver a situação para vê-las bem e dispostas. Porém, inevitavelmente desconfortos surgirão. Mas será que eles realmente são normais na infância?

Primeiramente, é importante ressaltar que nada substitui uma visita ao médico. Portanto, se a situação de seu filho te preocupar, não hesite em levá-lo a uma consulta. Sim, os desconfortos são normais e com dois deles você não precisa se preocupar tanto. Confira:

Cólicas

Na primeira infância podem surgir cólicas por gases. Elas são corriqueiras porque o sistema digestivo dos pequenos ainda está em desenvolvimento. Em crianças maiores ela pode surgir por conta da ingestão de alimentos que a provoquem. Caso esse incômodo mude de lugar na barriga, boas soluções que trazem alívio são massagens e até mesmo esticar e encolher as pernas.

Dor do crescimento

Crianças que tem entre três e cinco anos podem reclamar com frequência de dores musculares. Elas surgem com mais ênfase nas pernas, panturrilhas, coxas e joelhos. Costumam aparecer quando a musculatura do corpo está mais relaxada, como à noite. Elas se dão devido ao desenvolvimento dos ossos, tendões e músculos, mas também podem ser hereditárias ou fruto de estresse. Os sintomas delas desaparecem sozinhos, mas podem ser atenuados com compressas de água quente.

Caso os incômodos não passem, busque a ajuda do pediatra. Isso porque, o bem-estar das crianças é fundamental para que elas se sintam dispostas para aprender e descobrir novas coisas.

Continue acompanhando nosso blog!

Fonte: tricae

Imagem: freepik

Só é possível promover melhores condições para o desenvolvimento das crianças quando verdadeiramente o entendemos. O sono é essencial para promover o bom crescimento dos pequenos. Por isso, no post de hoje falaremos sobre a importância do sono. Confira:

Os bebês entram em contato direto com o mundo que os cerca após o nascimento. Para eles, todos os dias são repletos de novos estímulos e de novas descobertas. Portanto, para transformar essas experiências em aprendizados, as sonecas são fundamentais.

Aprendizado x sono

De acordo com a Fundação Nacional do Sono, dormir é tão importante quanto a alimentação e a higiene do bebê. Isso porque, além de colaborar para o desenvolvimento intelectual, é durante o período de sono que o corpo libera os hormônios de crescimento. Além disso, enquanto dormem as crianças solidificam seus aprendizados.

Como ajudar a criança a dormir melhor?

  • Ofereça a elas alimentos mais leves antes do sono;
  • Estabeleça uma rotina e procure colocá-la para dormir sempre no mesmo horário;
  • Mantenha o ambiente organizado, limpo e com baixa luminosidade para oferecer mais conforto para a criança.

A hora da soneca na Pueri Dei é tranquila e garante aos puerinhos um descanso de qualidade.

Conheça nossa escola!

Ademais, continue acessando nosso blog.

Fonte: escoladainteligencia

Imagem: freepik

O desfralde é uma fase importante na vida do pequeno. Esse é um dos sinais de independência que o bebê dá para os responsáveis e pode ser um momento difícil para a família como um todo. O período mais recomendado por alguns especialistas para o desfralde é depois dos dois anos. Mas esse tempo pode variar, por isso essa não é uma regra.

Essa é uma das fases de transição vivida pelas crianças. Por isso, como qualquer outro momento, exige muita paciência. Apesar de ser um período delicado, alguns bebês dão sinais de que estão preparados para deixar as fraldas. Uma dessas deixas é quando a criança se demonstra estar incomodada com a fralda suja.

Como ajudar no desfralde?

Enquanto escova os dentes do bebê, no banheiro, converse sobre a fraldinha e sobre o fato de que os demais membros da família usam o banheiro. Outra forma para ajudar no desfralde é comprando um troninho. Ao apresentá-lo para a criança, mostre-a que ela pode usá-lo todas as vezes em que tiver vontade. Por isso, deixe o assento em um local de fácil acesso para seu filho.

A equipe da Pueri Dei dá todo suporte para que os puerinhos passem por essa fase e alcancem maior independência!

Conheça nossa escola!

Ademais, continue acessando nosso blog.

Fonte: mamaetagarela

Imagem: freepik

Assim como os adultos, as crianças também sofrem com a ansiedade. Algumas ansiedades são comuns nas crianças durante as fases novas de aprendizagem, mas aos poucos vão sumindo naturalmente. Elas ficam ansiosas com volta às aulas ou até mesmo com novos desafios… Porém, depois que as coisas acontecem, elas percebem que as situações não eram tão difíceis como imaginavam.

A ansiedade passa a ser uma preocupação quando se torna disfuncional e começa a atrapalhar a criança em coisas simples como dormir, fazer o dever de casa, ir a escola e lidar com outras crianças. Para identificar a ansiedade nos pequenos é preciso ficar atento às mudanças de comportamento. Além disso, é necessário levar em consideração a idade e a fase que ela está passando.

Existem vários tipos de transtorno de ansiedade. Por isso, é essencial buscar pela ajuda de um profissional capacitado para examinar e diagnosticar a criança. Isso porque, esse profissional trará novas informações sobre a ansiedade e sobre como lidar com ela. Além de buscar por ajuda, é fundamental que os responsáveis tenham atenção quanto aos sentimentos das crianças. Reconhecer esforços e elogiar as pequenas conquistas e manter uma rotina dentro de casa as ajudará nesse processo.

Nós da Pueri Dei valorizamos os sentimentos dos puerinhos e buscamos diariamente entendê-los e ajuda-los mais e mais.

Conheça nossa escola!

Ademais, continue acessando nosso blog.

Fonte: comoeducarseusfilhos

Imagem: freepik

O folclore é um tipo de saber popular que se valoriza e se perpetua por entre as gerações. Isso porque, a história do nosso grande e diverso país possui influências e tradições, advindas, muitas vezes, do próprio folclore. Ele é marcado por atributos das culturas africanas, indígenas e portuguesas e se faz presente em cantigas, lendas, provérbios e costumes populares. Além disso, ele também marca presença em brincadeiras, comidas típicas e danças.

Estudar e ter contato com o folclore brasileiro significa despertar nas crianças a curiosidade genuína a respeito dos antepassados. Ademais, essa vivência estimula o interesse pela cultura de cada região do país.

No Brasil, escritores como Câmara Cascudo, Mário de Andrade e Monteiro Lobato interessaram-se pela riqueza de personagens, mitos e lendas. Isso porque, a intenção deles era registrar essas narrativas populares para posteridade. O objetivo dessas produções literárias é manter viva a história cultural brasileira e enfatizar a riqueza e a pluralidade de nossa cultura.

Benefícios do ensino do folclore

As crianças tem uma forma única de aprendizado. Por isso, elas apresentam-se, graças à curiosidade e à ingenuidade, mais abertas às novidades. Confira agora algumas vantagens de transmitir esse conhecimento para as crianças:

  • Criação da identidade cultural;
  • Desenvolvimento de sensibilidade;
  • Estímulo a inteligência e as emoções;
  • Aprendizado sobre a história de vida dos antepassados;
  • Vivência e possibilidade de discorrer sobre a diversidade.

Na Pueri Dei os puerinhos tem acesso à assuntos que englobam a cultura do nosso país!

Conheça nossa escola!

Ademais, continue acessando nosso blog.

Fonte: escoladainteligencia

Você sabia que uma rotina cheia de atividades pode sobrecarregar as crianças? Saber como lidar com o tédio durante a infância é uma habilidade socioemocional extremamente importante, embora não demos sempre a atenção devida à ela.

Na maioria das vezes, quando temos tempo livre, acabamos nos sentindo incomodados e queremos logo preenchê-lo com alguma tarefa “produtiva”. Esse sentimento que gera desconforto muitas vezes acaba sendo interpretado como vazio e acontece também com as crianças.

A necessidade de nos mantermos ativos, além de gerar ansiedade, é responsável pela diminuição da capacidade de imaginar, de criar e de pensar por nós mesmos. Por isso, no post de hoje daremos algumas dicas para você ajudar a criança a fazer um uso positivo do tédio. Assim ela poderá transformar esse momento em uma oportunidade para se conhecer e descansar.

Desenhar

Com desenhos espontâneos, a ideia é que essa brincadeira não tenha regras, tempo estabelecido ou objetivos. Além disso, é interessante que os adultos tentem interferir o mínimo possível

O grande propósito dessa atividade é levar a criança a externalizar sentimentos e percepções. São também benefícios da simples tarefa de desenhar: sensação de prazer, alívio mental e relaxamento.

Criar histórias

Os ambientes podem se tornar cenários de grandes aventuras quando damos asas à imaginação. Nessa atividade é possível modificar significados e sentidos atribuídos aos objetos ou espaço que estamos acostumados e que aparentemente não são novos.

A capacidade de construir histórias a partir de elementos cotidianos elimina o aborrecimento causado pelo tédio e amplia os horizontes. O desenvolvimento dessa capacidade se criar será muito útil no futuro, quando as crianças terão a oportunidade de criar soluções inovadoras para os problemas da sociedade.

Preparar alimentos

Que tal dar à criança a oportunidade de preparar, pelo menos por um dia, alimentos? O contato com eles a fará descobrir a importância dos alimentos e a necessidade da higiene em seu preparo. Além disso, um encantamento será criado pelo contato direto com os alimentos que despertará e ajudará a desenvolver os cinco sentidos da criança.

Essas são algumas formas de ajudar a evitar o sentimento de “Não tenho nada para fazer” nas crianças. Além disso, a vivência bilíngue, musicalização e ballet colaboram, de igual modo, para o eliminar o tédio e o ócio.

Na Pueri Dei seu filho tem acesso a todas as atividades aqui citadas, sem abrir mão da diversão.

Conheça nossa escola!

Ademais, continue acessando nosso blog.

Fonte: redecaminhodosaber

Palco de brincadeiras e diversão para as crianças, os triciclos fizeram parte da infância de muitas pessoas que hoje são adultas. Entretanto, o que hoje chamamos de triciclo trata-se de um veículo de três rodas, com aparência semelhante à de uma motocicleta. Seu nome tem origem grega, onde “tri” significa três e “ciclo” significa círculo ou roda.

Antigamente, por volta do século XVII, os triciclos eram usados como meios de transporte. Porém, esses veículos se popularizaram no Brasil somente em 1978 e eram muito usados pelos famosos. Todavia, antes disso algumas marcas de brinquedos, devido a fama desses automóveis, passaram a reproduzi-los para as crianças.

Atualmente existem diversos modelos de triciclos e eles ainda fazem a alegria da criançada. Além do mais, muitas opções de brincadeiras, individuais ou grupais, podem ser criadas com a ajuda desses brinquedos. Por dependerem da força humana para saírem da inércia, as crianças precisam fazer um certo esforço para se deslocarem utilizando esse brinquedo.

Dessa forma, esse estímulo é fundamental para aperfeiçoamento de capacidades como: coordenação motora, agilidade e flexibilidade. Além disso, a brincadeira estimula o gasto de energia!

Na Pueri Dei seu filho pode ter acesso à brincadeiras que você curtia quando criança!

Conheça nossa escola!

Ademais, acesse o blog diariamente e fique por dentro das novidades.

Fonte: bandeirante, clubedotriciclo, qcveiculos