Antes de começarmos a falar sobre este assunto, é preciso destacar que crescer é um dos principais fatores que indicam saúde e desenvolvimento no pequeno. Mas não se engane! O fato de seu filho ser baixinho não significa necessariamente que há algo de errado com sua saúde, até porque o que mais influenciará seu crescimento é a genética, sendo responsável por 80% de sua estatura final, de acordo com a SBP (Sociedade brasileira de pediatria).

Outros fatores envolvidos no processo de crescimento da criança são alimentação, higiene, habitação, saneamento básico, e doenças. Assim, ainda existem diversos outros fatores que influenciam no crescimento infantil e muitos deles podem ser controlados pela família da criança, como:

Atividade física

Estudos revelam que a prática de atividades físicas pelas crianças deve ser realizada de forma moderada, e não em excesso, visto que este excesso suga muita energia do organismo, o que prejudica o desenvolvimento. Mas ainda assim, 1 hora de atividade física por dia é imprescindível na rotina de seu filho. De acordo com o professor de educação física Rafael Braga, mestre em Ciências do Movimento Humano e coordenador do curso de licenciatura em educação física da PUC-PR, as atividades físicas estimulam o desenvolvimento de células que formam o tecido ósseo e muscular, aumentando de tamanho e fortalecendo a musculatura.

Alimentação balanceada

A nutricionista Clarissa Fujiwara aponta que uma alimentação carente de nutrientes essenciais, a atividade metabólica do organismo diminui, o que a faz poupar energia e consequentemente, desacelerar o crescimento. Por isso uma dieta rica em nutrientes, repleta de verduras, legumes, frutas, grãos, proteínas e laticínios, faz-se necessária na vida de seu pequeno e do resto da família, afinal, a família precisa dar o exemplo ao filho.

Tempo de sono adequado

Devido ao fato do hormônio do crescimento (GH) ser produzido e liberado no organismo durante o sono, certificar-se em relação a qualidade e durabilidade do sono de seu filho torna-se de extrema importância.

Tratamento oral (suplementos alimentares, hormônio do crescimento)

O hormônio do crescimento (GH) está presente naturalmente no organismo, porém uma dose extra dele é indicada por muitos endócrinos a crianças que têm deficiência de tal hormônio. Este tratamento só pode ser feito mediante receita médica e caracteriza-se por aplicações diárias do hormônio por meio de injeções que podem ser feitas no braço, coxa, bumbum e abdômen. Além disso, o tratamento pode durar até a idade em que as crianças atingem sua maturidade óssea, que no caso dos meninos é 16 anos, e nas meninas, 14.

Dessa forma, existem vários hábitos que podem ser adotados na rotina das crianças que irão ajudá-las a se desenvolver e crescer atingindo seu potencial de altura.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *