Dúvidas surgem entre o convívio entre bebês e animais de estimação, principalmente sobre essa relação dar certo. É gerada insegurança pelos pais, que buscam evitar acidentes ou situações tensas que envolvam os pets e as crianças. Mas, afinal, é realmente necessária tamanha preocupação?

Algumas dicas como: deixar os pets terem essa proximidade da barriga da gestante. Além disso, o animal pode até sentir o cheiro das roupinhas, a fim de melhorar a harmonia entre os serzinhos. Para isso, é necessário que os pais estejam sempre atentos às ações dos animais em relação ao bebê, de modo que nenhum incidente venha a acontecer.

Nesse processo de adaptação, vale ressaltar que o respeito com o tempo dos filhos e animais é extremamente válido. No início, pode acontecer o estranhamento de ambos, acarretando na lenta adequação dos mesmos. A presença do outro é incômoda, e os pais precisam desse entendimento e paciência.

Outro fator importante é conhecer bem o seu pet. Cada animal possui personalidade própria e pode reagir de diferentes formas. Entretanto, a educação recebida pelo bichinho será fundamental nesse processo. O conhecimento do seu animal de estimação aumentará as suas chances de ser um bom mediador nessa situação.

A apresentação do bebê com o pet deve ser inteiramente monitorada. Reconheça que haverá a comunicação no tempo dos dois e, dessa forma, não se apressem. Saiba que é extremamente importante e saudável esse contato entre os bebês e os animais de estimação, visto que essa interação será benéfica para o seu desenvolvimento.

Esse, entre outros assuntos, são importantes para a Pueri Dei. Conheça nossa escola!

Ademais, continue acessando nosso blog diariamente.

Fonte: leiturinha

Imagem: Freepik

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *